• icone conteudo
  • icone contraste
  • icone contraste

A Identidade conferida-requerida ao Pedagogo na atualidade pressupõe, portanto, a elaboração de um novo “estilo cognitivo-afetivo em construção” que articula teoria e prática em situações diversas na perspectiva de compreensão crítico-científica dos problemas e de criação de estratégias de superação.


Visa-se, portanto, formar um Pedagogo que tenha, dentre suas principais tarefas, um exercício do qual a cultura escolar se distanciou: a busca cotidiana rigorosa e, ao mesmo tempo, o prazerosa, pelo conhecimento e o incitamento à criatividade, à imaginação. Para que isso faça parte do dia a dia da escola e de outros espaços educacionais, é preciso que o Pedagogo aceite e assuma, em suas práticas pedagógicas, uma “dinâmica de reconstrução dos métodos de ensinar e de aprender” que articule processos e resultados de forma integrada, inclusiva e emancipatória, em que, além do conhecimento, valores como a amizade, a cooperação, o respeito, a felicidade, a ética, a justiça, a honestidade dentre outros, sejam aprendidos à medida que vividos.

Nessa proposta curricular os Saberes Docentes apresentam-se como uma rede de relações que entrelaça elementos específicos das diversas áreas do conhecimento tendo em vista a construção do SER DOCENTE. Esses saberes assumem uma natureza epistemológica própria ao passarem por uma “transposição didática” na prática educativa em suas diversas áreas de Atuação.


De acordo com as discussões empreendidas e com as definições legais as áreas  que se constituem em foco da formação a ser promovida no Curso de Pedagogia na UFRN serão: Docência na Educação Infantil e sua Gestão; Docência nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (escolarização de crianças, Educação de Jovens e Adultos (EJA), Educação Especial, Educação Indígena e sua Gestão; Organização e gestão de sistemas educacionais em contextos escolares e não-escolares; Produção e difusão do conhecimento científico e tecnológico no campo educacional.


O Currículo em construção estrutura-se, portanto, em torno de uma formação, ao mesmo tempo, mais ampla e mais específica visando à autonomia formativa dos alunos-professores em um caminho a ser percorrido em oito/dez semestres letivos do Curso, totalizando uma duração média de quatro a cinco anos.